23 de nov de 2013

Eu, diferente.

| |

Nunca fui uma pessoa extrovertida, nunca tive muitos amigos. Nunca compreendi a sociedade e suas regras ridículas. Sempre questionei, sempre mostrei minha opinião. Seria essa a razão de meus problemas? Porque não sou igual a outras garotas com minha idade, que preferem transar com o primeiro cara que aparece enquanto eu prefiro esperar o cara certo, que sou diferente? O que é ser diferente? Não seguir os padrões estéticos e morais da sociedade? Sempre me senti deslocada. Sempre quis parece igual a garotinhas que amam rosa e cultuam a cultura da bunda, afinal, é isso que uma mulher deve fazer certo? Caso contrário, ela é esquisita, doente. Agradeço por ser esquisita, agradeço por não seguir as regras que a sociedade impõe, porque há muito tempo perderam seus valores. Mas então, seria melhor seguir um estereótipo de garota perfeita imposta pela sociedade, ou, ser a garota que faz a diferença?